Para obter informações operacionais, entre em contato com o Gestor Nacional Bozano Investimentos, por meio do endereço:
bt_emailcriatec 

Gestor Nacional

Em Setembro de 2013 o BNDES anunciou a escolha como Gestora Nacional do Criatec II, a Bozano Investimentos. A estrutura de gestão do Criatec II prevê, além dos Gestores Nacional, um Assessor Operacional que será a Triaxis Capital (empresa formada pela união de três gestores regionais do Criatec I). Serão selecionados ainda seis Gestores Regionais nos seguintes polos de atuação:

Descrição da tabela
REGIÃO POLO REGIONAL
Sul  Porto Alegre / RS
Sudeste São Paulo / SP
Sudeste Rio de Janeiro / RJ
Sudeste Belo Horizonte / MG
Centro Oeste Brasilia / DF
Nordeste Fortaleza / CE

Saiba mais sobre a chamada pública de seleção do gestor do Criatec II.

Patrimônio do Fundo

O Fundo Criatec II irá iniciar com um Capital Comprometido de R$ 186 milhões, com aporte de R$ 123,7 milhões do BNDES, R$ 30 milhões do Banco do Nordeste S/A (BNB), R$ 10 milhões do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais S/A (BDMG), R$ 10 milhões do Banco de Brasília S/A (BRB) e R$ 10 milhões do BADESUL Desenvolvimento S/A (BADESUL). Conforme estabelecido pela governança do fundo, a gestora Bozano Investimentos aportará R$ 2,3 milhões.

Duração do Fundo

Sua duração prevista é de 10 anos, sendo que os quatro primeiros anos referem-se ao Período de Investimentos.

Política de Investimentos

O Gestor Nacional terá a missão de investir os recursos do Criatec II em empresas inovadoras com faturamento líquido anual de até R$ 10 milhões auferidos no ano imediatamente anterior à aprovação do investimento pelo Fundo, de forma a promover a sua capitalização e crescimento acelerado. Além disso, o Criatec II terá como objetivos adicionais a implementação de boas práticas de gestão e o incremento da governança corporativa nas empresas investidas.

O Criatec II investirá prioritariamente nos seguintes setores alvo: Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC); Agronegócios, Nanotecnologia, Biotecnologia e Novos Materiais.

Cada empresa poderá receber, no máximo, R$ 6 milhões, sendo até R$ 2,5 milhões no primeiro investimento, e até R$ 3,5 milhões em rodadas subsequentes de investimento.