Objetivos

  • Apoiar o desenvolvimento e a modernização do setor de armazenagem nacional efetuado por empresas ou cooperativas cerealistas, com sede e administração no País, que trabalhem diretamente com o produtor rural integrado e suas cooperativas; e
  • ampliar a capacidade de armazenamento nacional no segmento que atende diretamente ao produtor rural, o que a curto e médio prazos minimizará as pressões logísticas ocorridas nos períodos de safra.

Quem pode solicitar

  • Empresas ou cooperativas agropecuárias, cerealistas, com sede e administração no País, que exerçam cumulativamente as atividades de secar, limpar, padronizar, armazenar e comercializar produtos in natura de origem vegetal.
  • Indústrias de moagem de trigo, com sede e administração no País, que exerçam atividades de armazenagem de grãos de trigo in natura.

Forma de apoio

Direta ou indireta. 

Saiba mais sobre as formas de apoio.

O que pode ser financiado

Investimentos fixos e semifixos, de forma conjunta ou isolada, relacionados à armazenagem de grãos.

Taxa de juros

A taxa será variável, composta da seguinte forma:

Apoio direto
(operação feita diretamente com o BNDES)
Custo Financeiro + Remuneração Básica do BNDES +
Taxa de Risco de Crédito
Apoio indireto
(operação feita por meio de instituição financeira credenciada)
Custo Financeiro + Remuneração Básica do BNDES +
Taxa de Intermediação Financeira +
Remuneração da Instituição Financeira Credenciada
  • Custo Financeiro: no mínimo, TJLP para MPMEs; ou 70% TJLP +  30% Cesta ou  IPCA ou TS ou TJ3 ou TJ6 para as demais empresas.
  • Remuneração do BNDES: 1,5% ao ano (a.a.).
  • Taxa de Risco de Crédito: até 4,86% a.a., conforme o risco de crédito do cliente.
  • Taxa de Intermediação Financeira: 0,1% a.a. para MPMEs e 0,5% a.a. para demais empresas.
  • Remuneração da Instituição Financeira Credenciada: negociada entre o cliente e a instituição financeira credenciada.
Em operações com empresas brasileiras sob controle de capital estrangeiro não inseridas no Decreto nº 2.233, de 23.05.1997, e alterações posteriores, o Custo Financeiro será a variação da UMBNDES acrescida dos encargos da Cesta de Moedas ou a Variação do Dólar Norte-Americano acrescida dos encargos da Cesta de Moedas)

Participação máxima do BNDES 

Até 80% do valor dos itens financiáveis para MPMEs e até 70% para demais empresas.

Veja a classificação de porte das empresas

Os clientes podem ter a participação do BNDES ampliada para até 80% do valor dos itens financiáveis. Mas, neste caso, a parcela do crédito adicional terá custo equivalente a Cesta ou TS  e remuneração básica do BNDES de, no mínimo, 1,5% a.a.

Prazo

Até 10 anos, incluído o prazo de carência de até 3 anos.

Garantias

Negociadas entre a instituição financeira credenciada e o cliente.

Não será admitida como garantia a constituição de penhor de direitos creditórios decorrentes de aplicação financeira.

Veja: Garantias

Vigência

Até 31.03.2018.

Como solicitar

O interessado deve dirigir-se à instituição financeira credenciada de sua preferência que informará qual a documentação necessária, analisará a possibilidade de concessão do crédito e negociará as garantias. Após a aprovação pela instituição, a operação será encaminhada para homologação e posterior liberação dos recursos pelo BNDES.

Para financiamentos acima de R$ 10 milhões, a operação poderá ser realizada diretamente com o BNDES. Neste caso, o interessado deverá encaminhar o pedido por meio da Consulta Prévia, preenchida segundo as orientações do roteiro de informações e enviada ao:

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES
Área de Planejamento - AP
Departamento de Prioridades - DEPRI
Av. República do Chile, 100 - Protocolo - Térreo
20031-917 - Rio de Janeiro - RJ

Veja também