BNDES - Relatório Anual Integrado 2018 BNDES - Relatório Anual Integrado 2018

Entenda como o BNDES trabalha e conheça os principais destaques de nossa atuação em 2018 navegando pelo hotsite.

Para mais informações, baixe o PDF completo aqui baixar

Mensagem do presidente

Joaquim Levy, presidente do BNDES
Joaquim Levy, presidente do BNDES.

O ano de 2018 caracterizou-se pela continuação das mudanças do ambiente de negócios em que o BNDES passou a operar depois de 2014.

Entre as principais mudanças, destaca-se a implementação do novo parâmetro dos juros de referência para financiamentos, a Taxa de Longo Prazo (TLP) em substituição à Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) para novas operações. Trata-se de uma profunda reforma, aprovada pela Lei 13.483/2017, que reconfigura a situação do crédito direcionado e a atuação do BNDES. Associada a essa lei, houve também a renegociação da dívida com o Tesouro Nacional, que, por alguns anos, constituiu a fonte principal de recursos adicionais para empréstimos do Banco. Essa renegociação promoveu um encurtamento dessa dívida e mudanças na sua remuneração, sem prejuízo de eventuais devoluções promovidas em decorrência da análise da demanda por recursos por parte dos clientes do BNDES.

Em resposta ao novo ambiente competitivo, o Banco vem reformulando seu modelo de negócios. Essa reformulação visa garantir clareza na forma de executar nossa missão de desenvolvimento, garantir a sustentabilidade financeira da instituição e fortalecer a organização, dinamizando cada vez mais nossa força de trabalho e formalizando projetos corporativos cuja implantação já se iniciou e seguirá pelos próximos semestres.

A missão do Banco se traduz em diversas linhas de ação, que incluem o apoio de atividades de infraestrutura (da preparação de projetos à estruturação de soluções financeiras em parceria com o setor privado), industrial (com ênfase na inovação), e serviços (da saúde ao turismo, também com forte componente de inovação). Acreditamos que nossa missão social é atendida quando estamos presentes no financiamento e na transformação do setor de saneamento e de outros serviços essenciais à população, inclusive na educação, base da competitividade do país e de melhora nas condições de vida dessa e das futuras gerações. Em todas as nossas atividades, também integramos a sustentabilidade e a atenção ao meio ambiente, garantindo a vitalidade do país no longo prazo.

Em termos financeiros, o novo ambiente se traduziu na construção de novos produtos, serviços e canais de distribuição, assim como na análise de novas formas de levantarmos recursos, no mercado e junto a fontes de recursos institucionais de custo favorecido ainda existentes, como os pertencentes ao FGTS. O corpo técnico do BNDES vem respondendo aos novos desafios e oportunidades fazendo valer sua excelência, abrindo-se cada vez mais ao diálogo e à mudança, em uma organização mais transversal e flexível, em que os diferentes talentos podem ser usados da melhor forma possível para atender aos clientes. O Banco também continua fortalecendo sua governança, em cooperação com seu Conselho de Administração e órgãos de controle externo.

Todas as mudanças que o Banco vem conduzindo vieram acompanhadas pela habilidade de manter a lucratividade da instituição, realizando, em alguns casos significativos, ganhos de capital. Embora a receita da intermediação financeira tenha caído em 2018, foi registrado lucro líquido de R$ 6,7 bilhões no exercício. Trata-se de um aumento de 8,5% em relação a 2017, explicado principalmente pelo aumento da venda de participações societárias, notadamente aquelas detidas pelas BNDESPAR. A redução da carteira de crédito manteve-se, passando de R$ 560 bilhões para R$ 520 bilhões, por conta de pré-pagamentos de clientes e um volume de desembolso mais contido. Com isso, foi possível reduzir a participação dos recursos do Tesouro Nacional nas fontes de financiamento do Banco, a qual caiu de 48% para 38%.

A redução da carteira de empréstimos e a valorização da carteira de renda variável resultaram em que nosso índice de Basileia passasse de 27,5%, ao fim de 2017, para 29,0%, em dezembro de 2018.

As transformações no BNDES continuam em 2019. Continuaremos sendo um ativo estratégico para apoiar o desenvolvimento da economia brasileira, na busca de trazê-la para a fronteira tecnológica e de eficiência global. Para isso, a inovação nas empresas, com novos processos e produtos, será cada vez mais importante, e queremos capitalizar o enorme potencial humano que há no Brasil. Não tendo mais linhas subsidiadas, o BNDES está focando no crédito de mais longo prazo, investindo em retomar sua liderança histórica na preparação de projetos de infraestrutura e de programas de privatização. Continuamos apoiando a melhora da gestão e governança das empresas, para fortalecer nossos mercados de capital.

Olhando para frente, vamos cada vez mais explorar formas de apoiar startups, a chamada indústria 4.0, o aumento da produtividade e adaptação climática da agropecuária, e os setores que podem ser transformadores como o aeroespacial, do gás natural, de energias renováveis, assim como os das várias ciências da vida. Em todos eles, o papel das empresas pequenas e médias vai ser valorizado e a atenção aos impactos sociais e ambientais, uma prioridade. O BNDES está aí para ser um catalisador do setor privado, apoiar o investimento e a concorrência.

Este é mais um ano em que apresentamos um relato integrado de nossa atuação, modelo que começamos a adotar em 2012 e que se tornou obrigatório pela Lei 13.303/2016 (nova Lei das Estatais). Consideramos que, ao envolver todas as áreas do Banco em um pensamento coletivo sobre nossa atuação, o relato integrado permite a reflexão sobre como e onde adicionamos valor, aprendendo com os êxitos e desafios da instituição e criando oportunidades de melhoria.

Agradecemos o engajamento e a participação de todos os funcionários do BNDES em nossa missão. Envidaremos esforços para superar nossas metas e atender às expectativas de nossos diversos públicos com transparência e rigor.

Convidamos todos para a leitura deste relatório. Estamos sempre abertos a sugestões e críticas, na busca por uma melhoria contínua de nossa atuação. Boa leitura!

Cordialmente,
Joaquim Levy
Presidente do BNDES

Perfil

Quem somos?

Somos o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), uma empresa pública federal vinculada ao Ministério da Economia, sendo o principal instrumento do Governo Federal para financiamento de longo prazo e investimento nos segmentos da economia brasileira.

Com sede oficial em Brasília (DF) e concentração de atividades no Rio de Janeiro (RJ), atuamos em todo o território nacional, com escritórios também em São Paulo (SP) e no Recife (PE). Operamos desde 1952 e somos hoje um dos maiores bancos de desenvolvimento do mundo.

O Sistema BNDES é formado por três empresas: o BNDES e suas subsidiárias – a BNDES Participações S.A. (BNDESPAR), que atua no mercado de capitais, e a Agência Especial de Financiamento Industrial (FINAME), dedicada ao fomento da produção e da comercialização de máquinas e equipamentos.

Veja nosso organograma em 2018

Nossa equipe

Contamos com uma equipe comprometida, selecionada por concurso público, que está sempre em busca da excelência, um de nossos princípios, e da qualificação necessária ao cumprimento de nossa missão.

2.688 empregados 35% mulheres e 65% homens 2% até 29 anos, 80% de 30 a 50 anos, 18% mais de 50 anos Raça: 27 amarela, 44 preta, 2.177 branca, 353 parda, 81 não informada, 6 indígena Formação: 1,6% nível fundamental, 16,3% nível médio, 82,1% nível universitário (715 pós-graduação lato sensu, 722 mestrado, 101 doutorado) Unidade Operacional: 95,7% - Rio de Janeiro; 1,6% - São Paulo; 1,5% - Recife; 1,3% - Brasília

Nossa estratégia

Mapa de objetivos estratégicos

infra

Infraestrutura

Produtividade e conexão entre os mercados

estrutura_prod

Estrutura produtiva

Inserção do país na economia global e do conhecimento

educacao_saude_1

Educação, saúde e segurança

Apoio na melhoria de serviços públicos

inovacao

Inovação

Inovação e empreendedorismo

mercado_capitais

Mercado de capitais

Desenvolvimento do mercado e crowding in de investimentos

sustentabilidade_2

Sustentabilidade

Apoio à migração para a economia verde

desenv_regionl

Desenvolvimento regional

Potencialidades regionais para desenvolvimento nacional

Portfólio

Produtos e serviços com visão de cliente

pricing

Pricing, risco e exigências

Spreads básicos diferenciados por prioridades

canais_operacoes

Canais e operações

Digitalização e diversificação de canais

captacao_titulos

Captação e títulos

Captação em mercado/parcerias e emissão de títulos

securitizacao

Securitização

Securitização e avaliação contínua da carteira

funding_publico

Funding público

Alinhamento com Governo Federal

estrutura_orga

Estrutura organizacional

Organização mais transversal e flexível, com mais eficiência, produtividade, cooperação e capacidade de comunicação interna e externa

sustentabilidade_1

Modelo de Gestão e Incentivos

Planos de carreira e incentivos alinhados à estratégia e metas com cultura mais orientada aos resultados

pessoas

Pessoas

Desenvolvimento de capacidades e cultura mais empreendedora e aberta ao diálogo

Como geramos valor

Captamos

financeiro Financeiro

R$ 18 BILHÕES de recursos do FAT
R$ 2,1 BILHÕES de captações externas
R$ 2,3 BILHÕES de captações internas
R$ 165,3 BILHÕES retorno das operações de crédito

humano Humano

2.688 empregados
82% de nível universitário
63% de pós-graduados

intelectual Intelectual

65,7 horas de treinamento por empregado
4.415 participações em treinamentos

Tendo Como

Identidade Institucional

proposito

Propósito Transformar a vida de gerações de brasileiros, promovendo desenvolvimento sustentável.

valores

Valores Ética, espírito público e compromisso com o desenvolvimento.

principios

Princípios Transparência, efetividade, diálogo, cooperação e busca pela excelência.

missao

Missão Viabilizar soluções financeiras que adicionem investimentos para o desenvolvimento sustentável da nação brasileira.

visao_futuro

Visão de futuro Ser reconhecido como o banco de desenvolvimento do Brasil pela sua relevância e efetividade.

Diretrizes estratégicas

infra

Infraestrutura

estrutura_produtiva

Estrutura produtiva

educacao_saude

Educação, saúde e segurança

inovacao

Inovação

mercado_capitais

Mercado de capitais

sustentabilidade

Sustentabilidade

desenv_regional

Desenvolvimento regional

Produtos e serviços

financiamento_credito

Financiamentos e crédito

participacao

Participações

servicos

Serviços

garantia

Garantias

apoio_patrocinio

Apoios e patrocínios

producao_conhecimento

Produção de conhecimento

Para gerar

Resultados

financeiro Financeiro
R$ 6,7 BILHÕES de lucro líquido
R$ 5,2 BILHÕES em tributos
R$ 130 BILHÕES antecipados ao Tesouro Nacional
intelectual Intelectual
30% a mais de investimentos em P&D pelas empresas apoiadas (2005-2014)
1,8 milhão de downloads de publicações
719.100 homens-hora apoiadas em P&D
mais de 3.000 estudos produzidos
manufaturado Manufaturado
5.500MW de capacidade de geração de energia elétrica entregue por projetos apoiados
829.157 pessoas a serem beneficiadas por ligações de esgotos decorrentes de projetos aprovados em 2018
natural Natural
2.450 ton/dia de capacidade de tratamento ou destinação de resíduos sólidos urbanos prevista
3.089 indivíduos capacitados para a prática de atividades econômicas sustentáveis, no âmbito do Fundo Amazônia

Nosso desempenho em 2018

Números

R$ 69,3 bilhões desembolsados em
308 operações com
152.887 cliente (pessoas físicas e jurídicas)
45% dos desembolsos para MPMES
50.000 novos clientes (número aproximado de clientes que não receberam recursos entre 2013 e 2017)
R$ 11,9 bilhões - economia verde
R$ 7,2 bilhões - desenvolvimento social
13% de aumentos nos desembolsos para infraestrutura

Setores

Infraestrutura

Estamos comprometidos com a melhoria da qualidade de vida dos brasileiros, por isso, investir em infraestrutura é nossa prioridade. Além de melhorar a vida das pessoas, permitindo, por exemplo, que a energia chegue a suas casas ou que haja sistema de esgoto em suas cidades, o setor também tem influência direta na integração das regiões do país e na competitividade e produtividade das empresas. Nosso apoio à infraestrutura pode se dar por meio de financiamentos, participações societárias e aquisição de debêntures de projetos. Também auxiliamos os governos federal, estaduais e municipais a estruturar projetos de desestatização.

Saneamento

Em 2018, apoiamos a sétima emissão de debêntures da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), no valor total de R$ 239,6 milhões, com o objetivo de financiar parte das obras de ampliação da rede e das ligações de água, da rede coletora e das ligações de esgoto. Os investimentos beneficiarão uma população de mais de 411 mil habitantes – sendo 248 mil com acesso à rede de esgoto e 163 mil, à rede de água – contemplando um conjunto de 84 municípios paranaenses.

Torneira jorrando água
Foto: Shutterstock
Mobilidade urbana

O ano foi marcado pela conclusão de projetos importantes, como o do sistema metroviário de Salvador e Lauro de Freitas, que teve sua última estação (Aeroporto) inaugurada, passando a contar com vinte estações, cobrindo 32 km e conectando-se a oito terminais de ônibus. No Rio de Janeiro, foram finalizadas as obras do VLT Carioca na avenida Marechal Floriano, trecho que compõe a terceira linha do sistema e que deverá entrar em operação em 2019. Já em São Paulo, foram inauguradas seis novas estações da Linha 5 do metrô (foto), faltando apenas concluir uma das 17 previstas (a estação Campo Belo). A linha se conecta à Linha 9 da CPTM e às linhas 1 e 2 do metrô e transporta em média 388 mil passageiros por dia útil.

Metrô de São Paulo
Foto: ViaMobilidade – Divulgação
Transporte de etanol e biocombustíveis

Aprovamos financiamento ao sistema da Logum, o primeiro dedicado ao transporte de etanol e biocombustíveis. Ele irá conectar as regiões produtoras do interior de São Paulo e de Minas Gerais aos principais centros consumidores das regiões metropolitanas de São Paulo e do Rio de Janeiro, por meio de dutos da própria empresa e de dutos da Petrobras, operados pela Transpetro. O projeto contempla a instalação de aproximadamente 481 km de dutos, além de terminais nas cidades de Uberaba (MG), Ribeirão Preto (SP) e Guarulhos (SP). A empresa prevê que os novos dutos vão substituir 400 mil viagens de caminhões que ocorrem por ano na região metropolitana de São Paulo, o que permitirá uma redução na emissão de gás carbônico equivalente a 700 mil toneladas por ano.

Mapa da região Sudeste do Brasil
Imagem: Reprodução Logum
Aeroportos

Desembolsamos R$ 713,7 milhões para aeroportos em 2018. Aprovamos no ano dois novos projetos de modernização e ampliação da infraestrutura aeroportuária nacional – dos aeroportos de Porto Alegre (oito milhões de passageiros/ano) e Florianópolis (quatro milhões de passageiros/ano) –, já com previsão de resultados em 2019. Entrou em operação em 2018 o novo terminal de passageiros do Aeroporto de Jericoacoara-CE (foto), que contou com nosso financiamento e agora já recebe voos regulares de aeroportos como Congonhas (SP), Viracopos (SP), Guarulhos (SP) e Confins (MG).

Aeroporto de Jeri
Foto: Acervo BNDES/André Telles
Energia

No segmento de transmissão, o grande destaque em 2018 foi nosso apoio à implantação da linha Xingu-Terminal Rio, que representa o segundo bipolo para escoamento da energia gerada pela Hidrelétrica de Belo Monte. Com uma extensão total de 2.534,6 km, a linha conecta a estação conversora Xingu, no Pará, à estação Terminal Rio, no Rio de Janeiro, conduzindo a energia em ultra-alta tensão, em corrente contínua. O projeto contempla investimentos de R$ 8,5 bilhões, dos quais R$ 5,2 bilhões serão financiados por nós. O primeiro bipolo, que interliga as subestações de Xingu (PA) e Estreito (MG), com 2.092 km e extensão, também contou com nosso financiamento e entrou em operação comercial em dezembro de 2017.

Estação conversora Xingu
Foto: Acervo Xingu Transmissora
Desestatização

Concluímos o processo de desestatização de seis distribuidoras controladas pela Eletrobras, nos estados do Amazonas, Acre, Roraima, Rondônia, Piauí e Alagoas. Como responsáveis pela execução e pelo acompanhamento dessas privatizações, participamos da realização dos estudos e das discussões regulatórias para a estruturação dos projetos, promovemos a articulação com diferentes atores envolvidos e executamos os leilões e eventos de liquidação em parceria com a B3. Contribuímos para os seguintes resultados: transferência de cerca de R$ 9,3 bilhões em dívidas da Eletrobras para os novos controladores; exclusão de R$ 1 bilhão em dívidas que seriam arcados pelos consumidores via tarifa, a serem assumidos pelos novos concessionários; investimento inicial de R$ 2,4 bilhões pelos novos concessionários; e expectativa de um investimento de R$ 6,7 bilhões pelos novos controladores, com reflexo na melhoria da qualidade do serviço.

Torres de energia
Foto: Shutterstock
  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. 4
  5. 5
  6. 6

Estrutura produtiva

Nosso objetivo ao apoiar a estrutura produtiva brasileira é transformar modelos de negócios tradicionais e inserir o país na economia global e de conhecimento. Nossos espaços prioritários de atuação nessa diretriz são agronegócio, indústria farmacêutica e indústria da saúde, informação e tecnologia, economia criativa e defesa e aeronáutica.

Economia criativa

Nosso apoio à UP! Licensing insere-se na estratégia de consolidação da indústria audiovisual brasileira, que visa tornar as empresas mais competitivas, inclusive no mercado externo. A empresa é parte de um grupo que comercializa produtos em mais de dois mil pontos de venda em todo o Brasil e que detém os direitos patrimoniais das personagens de “Bubu e as Corujinhas”. Partindo de uma lógica inversa, decidiu desenvolver uma série de animação depois do sucesso dos personagens no mercado de varejo, que atualmente é exibida pelos canais Disney Channel e TV Cultura, no Brasil, e Disney Junior e Playkids, em países da América Latina. O projeto contou com nosso apoio financeiro para o plano de negócios, contribuindo para manter profissionais qualificados na região de Santa Catarina.

Imagem Up! Licensing – Corujinha Bubu
Imagem: Acervo UP! Licensing
Cooperativas agrícolas

Em agosto de 2018, lançamos, com o estado do Espírito Santo, um edital para apoiar projetos voltados para produção, agroindustrialização, beneficiamento e comercialização de empreendimentos de associações e cooperativas de agricultores familiares com o objetivo de qualificar sua estrutura produtiva. Também lançamos um edital em parceria com a União Nacional das Cooperativas de Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes) para a seleção de projetos com o objetivo de promover a redução das desigualdades sociais, a inclusão socioprodutiva e o desenvolvimento territorial.

Agricultor fazendo colheita
Foto: Shutterstock
Veículos elétricos

Contratamos, em 2018, duas operações para apoio a projetos de redes de recarga de veículos elétricos, em um valor total de R$ 6,7 milhões. As iniciativas, selecionadas por meio de chamada pública lançada em 2016, receberão recursos não reembolsáveis do BNDES Funtec. Contarão também com apoio financeiro da Embrapii, no âmbito de um acordo de cooperação firmado conosco em 2017. Os dois projetos têm a missão de desenvolver modelos de eletropostos de recarga lenta (oito a 16 horas), semirrápida (duas a quatro horas) e rápida (até uma hora), que poderão ser instaladas em residências, shoppings, estacionamentos, postos de gasolinas e estradas.

Carro elétrico sendo carregado
Foto: Shutterstock
Bens de consumo

Com nosso financiamento, o Grupo Lunelli, que atua no setor têxtil, pôde realizar investimento em pesquisa de moda, desenvolvimento e prototipagem de produtos e ações para o fortalecimento de suas marcas. Os investimentos foram estratégicos para que o grupo pudesse aumentar sua participação no mercado em um momento de baixa performance do setor têxtil em geral. Além disso, os recursos permitiram a ampliação da unidade de produção localizada na cidade de Maracanaú (CE), garantindo a abertura de 178 novos postos de trabalho na fábrica e permitindo a reengenharia dos processos da unidade e a ampliação da área construída em 5 mil m², destinados a atividades logísticas.

Galpão
Foto: Acervo BNDES/André Telles Fotografia
Exportação

Desembolsamos R$ 4,2 bilhões para exportação em 2018, sendo R$ 3,9 bilhões no formato pós-embarque de financiamento à comercialização de produtos e serviços, e R$ 267 milhões em operações de pré-embarque de financiamento à produção de bens e serviços. O principal país destinatário dessas exportações foram os EUA e o principal setor financiado foi o de fabricação de aeronaves. Em 2018, das noventa aeronaves comerciais entregues pela Embraer, financiamos 46, em um valor total de US$ 966 milhões, que alavancaram US$ 1,5 bilhão em exportações do setor aeronáutico. Os financiamentos destinaram-se a quatro empresas aéreas em três países: EUA, Noruega e República de Belarus.

Avião no ar
Foto: Divulgação Embraer
Microcrédito

Em 2018, adequamos o produto BNDES Microcrédito às regras do Programa Nacional de Microcrédito Produtivo Orientado (PNMPO), o que nos integra ainda mais a uma política pública que, além de disponibilizar recursos para microempreendedores populares, oferece apoio técnico para execução das atividades dos empreendimentos. Silvana Melo da Rosa (foto) já utilizou dois créditos da ICC BluSol, de recursos do produto BNDES Microcrédito. Ela abriu sua própria empresa de reciclagem de resíduos têxteis em Ascurra (SC) e, atualmente, gera emprego para oito pessoas em seu galpão. No início de sua trajetória, contava com apenas dois funcionários, mas, com a alta demanda, em poucos meses precisou contratar mais pessoas. Utilizou os recursos financiados para construção de seu galpão, banheiros, compra de ventiladores, bebedouros etc.

Silvana Melo da Rosa sorrindo
Foto: Acervo BNDES
  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. 4
  5. 5
  6. 6

Educação, saúde e segurança

A agenda social é de extrema relevância para o desenvolvimento do país. Por isso, educação, saúde e segurança são diretrizes estratégicas em nosso planejamento. Temos como objetivo aumentar o nível de qualificação e os padrões de produtividade do trabalho, além de melhorar as condições de saúde e segurança pública para a população brasileira.

Educação conectada

Lançamos, em 2018, a chamada pública BNDES Educação Conectada – Implementação e Uso de Tecnologias Digitais na Educação, com o propósito de selecionar projetos de incorporação de tecnologia para a educação pública, apoiando – com recursos não reembolsáveis do Fundo Social – sua adoção em escolas de ensino fundamental e médio das redes estaduais e municipais e testar modelos mais efetivos para sua implantação. Após análise técnica e sorteio, foram selecionados dez projetos, dos 26 apresentados, totalizando um apoio de R$ 40,4 milhões. Seis projetos já tiveram a liberação de recursos aprovada (RS, TO, SE, PB, MG e GO), dos quais os quatro primeiros já estão contratados e preveem impacto em 269 escolas, 105 mil alunos e 8,1 mil professores. Outros quatro (AP, BA, RR e PR) estão à espera de disponibilidade orçamentária do Fundo Social em 2019.

Tela chamada pública Educação Conectada
Imagem: Educação conectada
Senai

Desde 2012, no âmbito de um contrato de R$ 1,5 bilhão, financiamos o Senai para investimento em qualificação de mão de obra e em produtividade e inovação tecnológica na indústria nacional. Em 2018, foram desembolsados R$ 101 milhões. Os investimentos compreendem três frentes de atuação: ensino técnico e profissionalizante; serviços técnicos e tecnológicos para a indústria; e pesquisa, desenvolvimento e inovação para indústria. Essas frentes se refletem em projetos para implantação, modernização e/ou expansão de 19 Institutos Senai de Inovação, 35 Institutos Senai de Tecnologia e 152 centros de formação profissional, além da aquisição de 85 unidades móveis de ensino técnico.

Homem com colete em frente à maquinário
Foto: Acervo BNDES/André Telles Fotografia
Museu da Natureza

Em dezembro de 2018, foi inaugurado o Museu da Natureza, no Parque Nacional da Serra da Capivara, no Piauí. Sua construção recebeu nosso apoio não reembolsável no valor de R$ 13,7 milhões. O museu abriga uma coleção de fósseis da macrofauna que teria habitado a região e trata das mudanças climáticas ocorridas há cerca de dez mil anos no local. Parte do acervo é composta de espécies descobertas na região, enquanto outra parte é formada por animais que hoje só existem no bioma Amazônia.

Prédio do museu no meio da floresta
Foto: Acervo BNDES/Rodrigo Negreiros
Hospital Infantil Dr. Jeser Amarante Faria

O hospital infantil de Joinville faz parte da rede de hospitais públicos da Secretaria de Estado da Saúde e é a primeira unidade já em funcionamento de um conjunto de cinco unidades hospitalares que são objeto de ampliação e modernização com nosso apoio. A unidade oferece atendimento para crianças e adolescentes, sendo referência para 25 municípios das regiões norte e nordeste de Santa Catarina, além de servir como núcleo de referência em diversas especialidades infanto-juvenis para todo o estado. Os serviços executados com os recursos do financiamento contemplaram, entre outros, a reforma e modernização das instalações existentes, a adequação da unidade hospitalar às exigências do Corpo de Bombeiros e a criação das alas de internação e convivência psiquiátrica.

Estetoscópio
Foto: Shutterstock
Inovação em medicamentos

Apoiamos o plano de ação da Nortec Química S.A. para o triênio 2018-2020 que abrange o desenvolvimento de novos produtos, entre os quais antidepressivos, antirretrovirais e tratamentos para a doença de Parkinson. Em conjunto com investimentos em infraestrutura física e laboratórios de pesquisa e desenvolvimento, o apoio à empresa somou R$ 26,3 milhões. Localizada em Duque de Caxias (RJ), a Nortec é a maior fabricante nacional de insumos farmacêuticos ativos e importante parceira do Ministério da Saúde, fornecendo princípios ativos para produção de medicamentos para o tratamento de Aids, hepatite C e algumas doenças negligenciadas, como doença de Chagas e filariose.

Tubos de ensaio
Foto: Acervo Nortec
Sistema prisional do estado de São Paulo

Dentro do plano de adequação da infraestrutura do sistema prisional do estado de São Paulo, apoiamos a construção de 12 unidades prisionais, sendo cinco penitenciárias femininas, três centros de detenção provisória, três penitenciárias masculinas e um centro de progressão penitenciária. Todas as unidades estão prontas, com exceção de uma, ainda em construção. A Penitenciária Feminina de Guariba foi inaugurada em março de 2018, com área construída de 17 mil m², capacidade para 744 apenadas, em regime fechado, além de ala de progressão penitenciária, com capacidade para 108 mulheres.

Cela com grades
Foto: Shutterstock
  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. 4
  5. 5
  6. 6

Inovação

Incentivamos a formação de capacitações e o desenvolvimento de ambientes inovadores, com o intuito de gerar valor econômico ou social e melhorar o posicionamento competitivo das empresas, contribuindo para a criação de empregos de melhor qualidade, o aumento da eficiência produtiva, a sustentabilidade ambiental e o crescimento sustentado do país.

Internet das coisas

Em 2018 concluímos o estudo Internet das coisas: um plano de ação para o Brasil, realizado em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação (MCTIC), definindo-se as bases para um plano nacional e para uma estratégia de implementação de IoT no país. Como primeira ação, lançamos em junho de 2018 a iniciativa BNDES Pilotos de IoT, uma chamada pública voltada à experimentação de soluções de IoT para os ambientes de cidades, saúde e rural. Dos cinquenta projetos recebidos, foram selecionados 15, de todas as regiões do país, para a fase de análise interna. Para o quarto ambiente priorizado no estudo, a indústria, foi realizada parceria com o Senai e a Embrapii para apoio não reembolsável aos planos de inovação dos institutos e centros de tecnologia da rede Senai para elaboração de projetos-pilotos.

Prédios conectados
Foto: Shutterstock
BNDES Garagem

Com o objetivo de estimular inovação e empreendedorismo, lançamos em 2018 o projeto BNDES Garagem, que complementa nossas formas tradicionais de apoio a partir de duas iniciativas. O Programa de Desenvolvimento de Startups tem como objetivo apoiar o desenvolvimento e crescimento desse tipo de empresa e o fortalecimento do ecossistema de empreendedorismo. O programa oferece capacitação e qualificação aos empreendedores e empresas nascentes, com prioridade para aquelas que atuam nas áreas de educação, saúde, segurança, soluções financeiras, economia criativa, meio ambiente, tecnologia blockchain e IoT. A segunda iniciativa é voltada para a criação de um centro de inovação que funcione como ambiente de desenvolvimento de negócios inovadores e hub de conexão entre os diversos agentes do ecossistema – startups, médias e grandes empresas, investidores, universidades e centros de pesquisa.

Cartaz BNDES Garagem
Imagem: BNDES Garagem
  1. 1
  2. 2

Mercado de capitais

Reorientamos nossa atuação em renda variável e em renda fixa, a partir do Plano Diretor do Mercado de Capitais, que identificou as principais falhas no mercado de capitais brasileiro, as oportunidades e externalidades potenciais. Apoiaremos o empreendedorismo e a inovação com a criação do programa BNDES Garagem. Definimos a estratégia de investimento direto, na qual atuaremos com foco em médias empresas escaláveis ou como viabilizador (por meio de ancoragem de ofertas). Traçamos um plano de chamadas públicas de fundos até 2023, em linha com nossas missões estratégicas. Adicionalmente, redefinimos nossa política de incentivos a debêntures e identificamos soluções financeiras a serem desenvolvidas com o objetivo de dinamizar esse mercado.

Operação Fibria-Suzano

Como co-controladores da Fibria, em conjunto com a Votorantim, participamos ativamente da negociação de operação da combinação dos negócios da Suzano com os da Fibria. Com a operação, a BNDESPAR recebeu quase R$ 9 bilhões, além de ações da Suzano representando 5,5% de seu capital. Esta operação gerou lucro de cerca de R$ 5,5 bilhões, o maior lucro da nossa história em uma operação individual. A companhia resultante está listada no Novo Mercado, segmento de máxima governança corporativa da B3. Durante as negociações, contribuímos para que a Suzano elevasse ainda mais seus padrões de governança corporativa, adotando uma política de indicação de conselheiros independentes, com critérios mais rígidos do que os do Novo Mercado. Também negociamos o compromisso da Suzano de manter as práticas socioambientais da Fibria, uma empresa que sempre foi referência no setor, sendo listada diversas vezes no Dow Jones Sustainability Index.

Pilha de papéis
Foto: Shutterstock
Eletropaulo

Vendemos nossa participação na Eletropaulo, empresa de distribuição de energia elétrica do estado de São Paulo, pelo valor de R$ 1,4 bilhão. A vencedora do leilão para aquisição de ações da empresa – Enel Brasil Investimentos Sudeste S.A. – comprometeu-se a capitalizar a Eletropaulo em R$ 1,5 bilhão, além de contribuir com conhecimento técnico para a solução dos principais problemas da companhia, especialmente no que diz respeito à eficiência operacional e à qualidade do serviço prestado. Tínhamos participação direta no capital da Eletropaulo desde o fim de 2016, por meio da BNDESPAR, e ajudamos a promover uma série de medidas de melhoria de governança, que culminaram na migração da Eletropaulo para o Novo Mercado em novembro de 2017. Também foram implementadas medidas para a criação de ambiente favorável à atração de investidores e destravamento de valor da companhia. Entre 2016 e 2018, a valorização do ativo foi da ordem de 300%, e o valor de nossa participação saltou de R$ 350 milhões para R$ 1,4 bilhão. Nesse mesmo período, o Ibovespa valorizou 30,5%, e o índice de energia, 16,3%.

Torres de energia
Foto: Shutterstock
Fundo de venture debt

Aprovamos no ano a contratação do primeiro fundo nacional de venture debt. O fundo, que será gerido pela SP Ventures, proverá crédito para pequenas e médias empresas inovadoras com faturamento de no máximo R$ 90 milhões. Poderemos investir até R$ 80 milhões. Os demais recursos deverão ser captados com outros investidores, e o patrimônio total esperado para o fundo é de até R$ 160 milhões.

Papéis com gráficos
Foto: Shutterstock
Fundos de investimento em participações

Lançamos em dezembro um edital de chamada pública multissetorial para investir em até oito fundos de investimento em participações (FIP), sendo até quatro em cada categoria: venture capital e private equity. O patrimônio comprometido pela BNDESPAR nos oito fundos poderá alcançar R$ 2,2 bilhões. Buscamos, por meio desses investimentos, soluções para aumentar o nível de qualificação e melhorar as condições atuais de educação, saúde e segurança pública, em linha com nosso planejamento estratégico.

Mãos digitando em uma calculadora
Foto: Shutterstock
  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. 4

Sustentabilidade

Apoiamos a migração do país para a economia verde, buscando dar protagonismo ao Brasil nesse tema. Em 2018, reforçamos o compromisso com a sustentabilidade por meio de direcionamento estratégico e atuação operacional. As diretrizes para uma atuação sustentável estão definidas em nossa Política de Responsabilidade Social e Ambiental, que norteia a integração das dimensões social e ambiental em nossa estratégia, nossas políticas e atividades e no relacionamento com nossos diversos públicos.

Tecnologias sociais

Lançamos, em parceria com a Fundação Banco do Brasil (FBB), um edital de seleção pública de projetos para reaplicação de tecnologias sociais. O objetivo é selecionar projetos que visem promover a geração de trabalho e renda em qualquer parte do país, com base em novas aplicações para tecnologias sociais já existentes. Foram recebidas 427 propostas, das quais 148 foram habilitadas na primeira etapa. Os recursos financeiros disponíveis deverão permitir a contratação das 11 propostas mais bem classificadas. As demais propostas habilitadas comporão cadastro de reserva, obedecendo a ordem de classificação obtida, pelo prazo de 12 meses a partir da publicação da classificação final.

Mãos unidas
Foto: Shutterstock
Fundo Amazônia

Em 2018, o Fundo Amazônia completou dez anos consolidando-se como a principal iniciativa mundial do sistema de pagamentos por resultados alcançados na redução do desmatamento. As doações recebidas alcançaram o patamar de R$ 3,4 bilhões (94% provenientes da Noruega, 5,6% da Alemanha, e 0,4% da Petrobras). Só em 2018, a Noruega fez doação de aproximadamente R$ 272 milhões. No começo do ano, lançamos um novo website, mais moderno e com novas funcionalidades que permitem ao usuário um acesso mais fácil a todas as informações disponíveis sobre o fundo e sobre os projetos apoiados. Em 2018, foram aprovados 11 novos projetos, entre eles o apoio a atividades de fiscalização ambiental e controle do desmatamento na Amazônia Legal pelo Ibama e o apoio à consolidação da cadeia produtiva da castanha-do-brasil e ao fortalecimento das atividades produtivas relacionadas ao açaí, à farinha de mandioca e à borracha natural em duas terras indígenas e três reservas extrativistas em Rondônia.

Site do Fundo Amazônia
Imagem: Novo site do Fundo Amazônia
  1. 1
  2. 2

Desenvolvimento regional

Com base em metodologias de identificação de clientes potenciais e de informações regionais, passamos a atuar de forma estruturada para capturar oportunidades de investimento que ativem o potencial econômico das regiões. Uma nova unidade dedicada ao fomento reuniu os departamentos regionais existentes (em Brasília, São Paulo e Recife), mobilizando suas equipes para identificar e atender as demandas de investimento das bases produtivas das várias regiões do país. Ao mesmo tempo, assumiu a atribuição de planejamento regional, trabalhando para sistematizar conhecimentos e produzir análises sobre as dinâmicas econômicas e sociais locais, de modo que sejam continuamente incorporadas à formulação e à implementação da estratégia corporativa.

Dinamização regional

Ao longo do ano, participamos ativamente, sob a coordenação do Ministério da Integração Nacional (atual Ministério do Desenvolvimento Regional) da elaboração das agendas estratégicas para o desenvolvimento das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, com o intuito de inserir a pauta regional no processo de elaboração do Plano Plurianual (PPA) 2020-2023, seguindo os objetivos e eixos setoriais da Política Nacional de Desenvolvimento Regional (PNDR). O mapa demonstra nossa contribuição para a dinamização de regiões de menor densidade econômica, em sintonia com a Política de Dinamização Regional e Fortalecimento da Rede de Cidades (PDRC), que define como territórios prioritários aqueles com renda domiciliar per capita inferior a 75% da média nacional.

Mapa Desembolsos do BNDES por região vs. participação das regiões no PIB
Mapa Desembolsos do BNDES por região vs. participação das regiões no PIB
Gestão pública

Uma forma de apoio financeiro com foco no desenvolvimento territorial é o apoio à gestão pública dos municípios por meio do BNDES Pmat. Seu objetivo é possibilitar um salto qualitativo de gestão que gere um aumento de arrecadação e/ou uma redução no custo dos serviços prestados à coletividade. Entre os impactos observados pela implantação do programa, podemos destacar o aumento da arrecadação própria dos municípios, a redução no tempo de tramitação dos processos e a provisão de informações para o cidadão, incluindo, em alguns casos, soluções de problemas via web ou aplicativos para dispositivos móveis. Atualmente, contamos com 56 operações de BNDES Pmat em nossa carteira. Somadas, tais operações atingem um montante de aproximadamente R$ 1,5 bilhão, entre projetos contratados, aprovados e em análise.

Close de uma mão escrevendo sobre gráfico com uma calculadora ao fundo
Foto: Shutterstock
  1. 1
  2. 2

Governança, ética e transparência

Devolução de recursos

Entre 2008 e 2014, recebemos expressivos aportes do Tesouro Nacional para a realização de nossas operações. A partir de 2015, não houve mais captação dessa fonte e se iniciou a devolução desses recursos. Em 2018, concluímos o pagamento dos R$ 130 bilhões remanescentes (R$ 30 bilhões em março, R$ 30 bilhões em junho e R$ 70 bilhões em agosto) para perfazer o total de R$ 180 bilhões solicitados oficialmente a nosso Conselho de Administração pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN) em agosto de 2017. Para embasar o pagamento, foram realizadas diversas análises, considerando-se também a possibilidade de demandas por novas devoluções, como amortizações extraordinárias ao FAT e ao Fundo PIS-Pasep.

Taxa de Longo Prazo (TLP)

Em 2018, entrou em vigor a TLP, que substituiu a TJLP como base para a remuneração dos recursos do FAT, do PIS-Pasep, do FMM e dos aportes realizados pelo Tesouro Nacional ao BNDES. A TLP é composta de uma parcela fixa, definida na contratação, e de uma parcela variável, relativa ao IPCA. A transição completa ocorrerá ao longo de cinco anos. Durante esse período, a diferença em relação à taxa de mercado será progressivamente reduzida.

Adequação à lei das estatais

Em 2018, foram realizados o segundo e terceiro ciclos do IG-Sest, avaliação da Sest, ligada ao Ministério da Economia, sobre a conformidade das estatais à Lei 13.303/16 (Lei das Estatais). Ficamos entre as 25 companhias federais – considerando empresas públicas e sociedades de economia mista –, que obtiveram nível 1 em gestão corporativa, entre as 54 avaliadas. Esse resultado apresenta o melhor grau entre os quatro níveis de classificação existentes. Os estatutos da FINAME e da BNDESPAR foram atualizados para atender à nova lei. Também foi necessário editar o Regulamento de Alienações, mediante licitação, dos bens de propriedade das empresas integrantes do Sistema BNDES.

Ética e integridade

Promovemos a 3ª Semana de Ética e integridade, em comemoração ao Dia Internacional de Combate à Corrupção – 9 de dezembro. Visando estimular a cultura de integridade, a semana abarcou iniciativas como jogo corporativo sobre o tema; treinamentos on-line do Guia de Conduta e Integridade para todos os empregados e sobre a Lei Anticorrupção e sobre risco operacional e controle interno para a alta administração; e lançamentos do Guia de Conduta para Prestadores de Serviços do BNDES e do documento Ética e integridade – 10 diretrizes de relacionamento com o BNDES para terceiros, especialmente clientes e fornecedores.

Resultados da CPI 2017

A CPI instaurada no Senado com o objetivo de investigar os financiamentos concedidos no âmbito do programa de internacionalização das companhias nacionais, bem como as operações voltadas ao apoio à administração pública, foi concluída em março de 2018 sem encontrar qualquer indício de fraude ou ilicitude relacionada ao Banco. Seu relatório final apresenta cinco recomendações. Entre as providências tomadas para atendê-las estão a aprovação de resolução que normatiza as diretrizes para utilização das parcelas das receitas de transferências como garantia em operações com entes públicos e para previsão de garantia da União em favor do BNDES; e a publicação de parecer da AGU, aprovado pela Presidência da República, que trata da possibilidade de vinculação das receitas de transferências de fundos de participação em operações de crédito com entes públicos e instituições financeiras federais.

Guia dos bancos responsáveis

Participamos pela primeira vez do Guia dos Bancos Responsáveis, projeto do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) que avalia anualmente as políticas e diretrizes socioambientais dos maiores bancos brasileiros. Obtivemos o melhor resultado entre os nove bancos analisados e o melhor já apresentado pelos participantes desde o início da iniciativa, que está em sua sétima edição. O principal destaque foi nossa nota no quesito Inclusão Financeira, em que alcançamos a pontuação de 8,8, por nossa atuação em microcrédito e em ações contra a extrema pobreza. Também tivemos destaque no tema Corrupção, por abordar questões relacionadas ao assunto em nossas políticas operacionais e manter um programa de integridade consistente. No quesito Transparência e Prestação de Contas, alcançamos a pontuação de 6,8, enquanto a média dos outros bancos foi 2,5.

Transparência

Visando ampliar nossa transparência, implementamos melhorias no site e realizamos uma consulta à sociedade, em parceria com o TCU, para recebimento de sugestões a respeito da divulgação de dados relativos a nossos financiamentos e aportes em empresas. Verificamos a possibilidade de implantação de 74% dos cem itens sugeridos nas 57 contribuições recebidas. Ao longo do ano, os principais avanços do portal foram: unificação das estatísticas operacionais em um mesmo painel interativo, com oferta de mais filtros de pesquisa; publicação do valor desembolsado, porte do cliente, fonte dos recursos dos financiamentos, situação do contrato, grau de inovação e instrumento financeiro, para os financiamentos de renda fixa; e divulgação dos desinvestimentos em empresas, remunerações e valor de mercado da carteira, para operações de renda variável.

Efetividade

Em 2018, aprovamos o macroprocesso que formaliza o Sistema de Promoção da Efetividade (SPE) e representa a coordenação de todos os nossos esforços nesse campo. Inspirado nas melhores práticas internacionais, o SPE opera em três camadas. No âmbito do projeto corporativo Efetividade, desdobramos nossa visão e nossas missões estratégicas em indicadores e metas de efetividade, conectando os objetivos do Banco aos principais desafios de desenvolvimento do país. Em 2018, realizamos estudos sobre a efetividade de nossa atuação em relação a nossa política de conteúdo local; à linha BNDES Exim Pós-embarque; à construção de usinas eólicas; ao Cartão BNDES e ao nosso apoio à inovação.

Gestão de riscos

Ao longo de 2018, aprimoramos o acompanhamento dos planos de ação pactuados para mitigação dos riscos operacionais mais relevantes e intensificamos o acompanhamento dos 15 maiores riscos (por valor em risco) com reporte trimestral do status ao Comitê de Auditoria e ao Conselho de Administração. Observamos, durante o ano, a redução gradual da concentração de nossa carteira de crédito. Porém, limites de concentração regulatórios mais rigorosos entraram em vigor em janeiro de 2019 (resoluções CMN 4.677/2018 e 4.678/2018), o que demandará novo esforço de redução da concentração nos próximos anos. Em 2018, houve também continuidade do movimento de redução do saldo da carteira de crédito, com elevação da inadimplência, o que se refletiu no aumento do provisionamento para risco de crédito.

Nossos relacionamentos

clientes

  • 985 atendimentos presenciais
  • Cerca de 245.000 atendimentos pela Central de Atendimento
  • Cerca de 5.000 pessoas atendidas em feiras de negócios
  • 2.086 participações nas palestras O BNDES Mais Perto de Você

sociedade

  • 559 pedidos de informação respondidos dentro dos prazos legais pelo SIC
  • 1.786 ocorrências acolhidas e tratadas pela Ouvidoria
  • 5,1 milhões de visitas ao nosso site
  • Aumento de 138% no número de inscritos no YouTube
  • Aumento de 86% no número de inscritos no LinkedIn
  • 31.380 visitantes no Espaço Cultural BNDES

imprensa

  • 1.259 demandas de veículos de comunicação atendidas
  • 90.572 matérias jornalísticas com menção ao BNDES
  • 316 releases, notas, comunicados e avisos de pauta divulgados para a imprensa
  • Lançamento Agência BNDES de notícias

administração pública

  • Diversas ações com o Poder Executivo Federal, visando apoiar a formulação e a execução de políticas e ações
  • 236 proposições legislativas acompanhadas, como reforma tributária, criação de mecanismo de fundos patrimoniais e utilização da TLP para fundos constitucionais
  • Ações em conjunto com órgãos de controle, como consulta pública sobre transparência com o TCU e acordo de cooperação técnica para intercâmbio de informação com a CGU

Investidores parceiros

  • Contato com mais de 150 investidores internacionais, em reuniões e congressos nos EUA e na Europa
  • 11 turmas de treinamento presencial para agentes financeiros
  • 330 participantes em fóruns com os agentes financeiros
  • Assinatura de acordo de cooperação técnica com o Sebrae e a Fecomércio-SP

academia e formadores de opinião

  • Cerca de 600.000 acessos à biblioteca digital
  • 1,8 milhão de downloads na biblioteca digital
  • Mais de 3.000 estudos produzidos
  • 2.500 assinantes da newsletter do Blog do Desenvolvimento
  • 21 apresentações institucionais para um público de 563 visitantes de delegações e grupos de estudantes
Publicidade

No total, nossas ações publicitárias representaram investimento de cerca de R$ 40 milhões em 2018. Este número representa 0,26% de nossa receita operacional bruta (ROB) em 2017. Foram duas campanhas principais: uma mercadológica sobre o produto BNDES Giro, e uma institucional, a campanha “Tem BNDES”, que teve como objetivo aumentar o conhecimento sobre o Banco e legitimar nosso papel como banco de desenvolvimento.

Patrocínio

Em 2018, patrocinamos 13 projetos culturais, em um investimento de R$ 4,4 milhões e cerca de 1,5 milhão de pessoas diretamente impactadas. No esporte, desembolsamos R$ 2 milhões ao projeto de apoio à participação das equipes de canoagem velocidade, slalom e paracanoagem em competições internacionais. O total de investimentos técnico-científico foi de R$ 5,8 milhões, em 47 projetos, como congressos e feiras. O segmento educacional recebeu R$ 2,5 milhões para apoio às ações do Biênio da Matemática.

Desafios e visão de futuro

Desafios

Nos últimos anos, sofremos uma queda da demanda por nossos recursos. Essa queda reflete, em grande medida, a própria redução dos investimentos na economia, mas não somente isso. Profundas mudanças começaram a ocorrer no ambiente em que estamos inseridos – desde alterações nas condições financeiras, como a convergência das taxas cobradas pelo BNDES com as taxas de mercado, passando pela redução da disponibilidade de funding público, entre outras. Para além de questões financeiras, há as de caráter mais estrutural, como o envelhecimento populacional; a agenda da sustentabilidade, na qual o Brasil pode ser protagonista; e os avanços tecnológicos disruptivos, com amplas consequências sobre o emprego e a qualificação profissional.

Planejamento

Como banco de desenvolvimento, agente ativo de transformação, que antecipa e apoia futuros promissores e promove melhores práticas, nosso trabalho vai muito além de meramente conceder o apoio financeiro, servindo à sociedade brasileira. Cabe a nós entender as dinâmicas de transformação e seu impacto em nossos clientes, assim como implementar as mudanças necessárias em nosso modelo de negócios, revendo processos, portfólio de produtos e até mesmo competências internas. Por isso, o BNDES está em movimento. Estamos nos transformando internamente para ajudar a transformação do país e para ser um relevante agente de desenvolvimento nos cenários que se configurarem. Nossa transformação envolve assumir uma postura ainda mais fomentadora de negócios; criar novos produtos para responder a necessidades de diferentes segmentos de clientes; e desenvolver e apoiar projetos que permitam aumentar a produtividade e a conexão entre os mercados, viabilizando novos negócios para o país.

Oportunidades

Estamos nos transformando para melhor exercer nosso propósito de transformar a vida de gerações de brasileiros, promovendo desenvolvimento sustentável. Nossa visão, nosso desejo, o que nos inspira é trabalhar para tornar o Brasil um país desenvolvido: promover maior crescimento da renda, com redução das desigualdades e melhoria do padrão de vida da população brasileira, de forma sustentável. A construção do futuro do Brasil conta com um Banco entusiasmado em apoiar a formulação de políticas públicas, competente na estruturação de projetos e movido pela missão de viabilizar soluções financeiras, tanto com seus produtos como com sólidas parcerias. E com o compromisso enraizado de comunicar tais ações de forma transparente, em um diálogo contínuo com a sociedade.